Cinderela (2015) – Figurino da Semana

A cerimômia do Oscar acontece no dia 28 de fevereiro e é muito esperada pelos apaixonados por moda por dois motivos: os grandes vestidos do red carpet e os indicados ao melhor figurino.

Um dos filmes que concorre a estatueta é Cinderela, que tem figurino assinado por Sandy Powell. A figurinista já levou o prêmio para casa por A Jovem Rainha Vitória, O Aviador e Shakespeare Apaixonado, além de ser indicada outras 10 vezes. Esse ano, Sandy desenvolveu dois trabalhos impecáveis e foi nomeada por dois longas, Cinderela e Carol, em ambos a figurinista vestiu Cate Blanchett, com quem já trabalhou também em O Aviador.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Cinderela é uma versão live-action do clássico conto de fadas em que a garota perde o pai e sofre nas mãos da madrasta má. O maior desafio de Sandy Powell foi transformar em realidade o figurino de uma animação que faz parte do imaginário de muitas garotas e gerações.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

 

Mas essa responsabilidade não intimidou Powell, que resolveu mixar as influências do séc XIX, época em que se passa a história, com elementos das décadas de 40 e 50. Os vestidos da madrasta, interpretada com maestria por Cate Blanchett, são os que mais recebem essas influências, principalmente da década de 40. Seu guarda roupa é o mais interessante da trama, além de ser a personagem que tem mais trocas de roupa durante a história, abusando de um glamour obscuro e dramático que ajuda a construir a imagem intimidante de “madrasta má”.
cinderella_figurinoo
Foto: Reprodução
Na personagem principal, interpretada pela jovem Lily James, temos um figurino simples durante boa parte do longa, demonstrando sua humildade e como é desvalorizada por sua madrasta e suas meio irmãs. Quando Cinderela encontra sua fada madrinha e ganha um verdadeiro vestido de princesa, a peça não é uma cópia do vestido da animação, fato interessante e positivo da trama.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

 

A peça tem mais de 240 metros de tecido e 10 mil cristais Swarovsky. O vestido parece ter saído de um quadro, com leves pinceladas de azul e roxo e borboletas bordadas nas alças. O famoso sapatinho de cristal foi desenvolvido em parceria com a Swarovsky (que sonho!). Tanto os sapatinhos quanto o vestido não devem ter sido nada confortáveis de vestir.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

 

Os outros figurinos são das irmãs e da fada madrinha, interpretada por ninguém mais, ninguém menos que Helena Bonham Carter. As irmãs usam vestidos iguais de cores diferentes, existe todo um excesso de informação e uso de cores gritantes para representar o alívio cômico da dupla. Já a fada madrinha surge em uma peça majestosa, branca, com tudo que um vestido do séc XIX tem direito, além de 400 lâmpadas de LED, responsáveis por toda mágica do “Bibbidi-Bobbidi-Boo”.

Leia o post anterior:
Alceu Penna e sua importância para a moda brasileira

Quando pensamos na história da moda brasileira logo nos vem a cabeça grandes nomes como Dener Pamplona ou Clodovil Hernandes,...

Fechar