Estamparia: entenda os processos de estamparia corrida

Como consumidores poucas vezes nos questionamos como um produto é feito, mas quando nos colocamos no lugar de criadores e participamos de todo processo criativo, acompanhando a produção das peças e sua comercialização, ficamos cada vez mais informados sobre como cada etapa e processo funcionam.

Muitas marcas tem se diferenciado no mercado através de peças estampadas, é o caso das brasileiras Farm e Antix. Mas você sabe como são feitas as estampas?

A estampa corrida, muito utilizada por essas marcas, é uma estampa com repetições que tomam o tecido todo e ela pode ser feita de diversas formas, as mais comuns são por quadro, por cilindro, sublimação e digital.

O Rapport
Toda estampa corrida, independente da técnica, precisa ter um rapport. O rapport é um padrão de repetição com encaixes perfeitos. No rapport cria-se um módulo, geralmente um quadrado que pode ser repetido infinitas vezes e em todas se encaixará perfeitamente. Criar um rapport não é tão simples quanto se imagina, existem inúmeras técnicas para o desenvolvimento de estampas corridas. Um exemplo simplificado de como funciona:

Por quadro

No processo de estamparia a quadro são criados telas de silkscreen de 1,50 x 0,80m gravadas com os padrões (estampa). É um processo caro e demorado, muitas vezes feito manualmente, já que toda a estampa precisa se encaixar perfeitamente. Cada quadro usa uma única cor, por isso, muitas vezes são necessários diversos quadros.

Por Cilindro

No processo cilíndrico, são utilizados cilindros metálicos perfurados com o desenho da estampa. Cada cor ganha um anel cilíndrico. A tinta é colocada dentro do cilindro, uma máquina os gira, aplicando a tinta no tecido. Essa técnica é muito utilizada em grandes estamparias para grandes quantidades de tecido, já que é uma técnica de alto custo, mas de rápida execução. No mercado, atualmente, existe uma restrição de cores para cilindros, variando entre 8 e 16 tons.

Sublimação

A estampa por sublimação é uma opção mais barata a estamparia digital, ela também permite que sejam usados infinitas cores. Ela funciona por tranferência, a estampa é impressa em papel com tinta de corante sublimático e a impressão no tecido é feita por uma prensa térmica. O calor e a pressão transferem a tinta para o tecido. Apesar de atrativo, esse processo só pode ser feito em tecidos de poliéster e poliamida e dependendo do tecido e da qualidade do serviço as cores perdem a nitidez e o brilho, ficando opacas e sem vida.

Digital
O processo de estamparia digital é muito semelhante ao da impressão em papel. Uma impressora (gigante!) imprime diretamente no tecido. Nela, é possível obter uma infinidade de cores e nuances, diferente dos outros métodos também não existe um limite de tamanho de rapport. Do computador direto para o tecido, o método de estamparia digital dispensa grandes desperdícios de água ou tinta, sendo um processo amigo do meio ambiente. O único lado negativo da estamparia digital é o alto custo que o equipamento ainda tem aqui no Brasil.

 

Leia o post anterior:
Clodovil Hernandes e a moda brasileira

Mais do que estilista, Clodovil Hernandes foi responsável pela popularização da informação de moda no Brasil. Trabalhou na televisão durante...

Fechar