Carol – Figurino da Semana

O filme acontece em Nova Iorque da década de 1950, quando Carol (Cate Blanchett), uma senhora muito elegante, conhece Therese (Rooney Mara), uma jovem atendente de loja de departamentos. As duas acabam se aproximando e descobrindo uma atração profunda e recíproca. “Carol” é um dos concorrentes ao Oscar de melhor figurino, competindo com Cinderela, A Garota Dinamarquesa, MadMax e O Regresso.

Foto: Reprodução
Sketches de Sandy Powell – Foto: Reprodução
A responsável por dar vida ao figurino das personagens é Sandy Powell, que também concorre com Cinderela, a gente já falou um pouquinho sobre ela aqui.
Foto: Reprodução
O Figurino de Carol traz todo glamour e elegância da década de 1950 – Foto: Reprodução

A figurinista usou e abusou do glamour dos anos dourados na caracterização de Carol. O guarda roupa da personagem tem muitas referências de um dos maiores ícones de elegância da década, Grace Kelly. Sandy também buscou editoriais da revista Vogue da época, criando looks repletos de casacos de pele, broches e silhueta marcada. As cores sóbrias dão destaque a uma ou outra peça de cor vibrante, como as luvas e lenços em tons quentes.

Foto: Reprodução
O figurino de Therese se assemelha ao de Audrey Hepburn em Funny Face – Foto: Reprodução

Já para Therese, Powell pesquisou imagens reais de pessoas da década de 50, além de garimpar a maioria das peças nos brechós americanos. O visual meio “beatnik”da garota traduz seu lado intelectual e questionador, se assemelhando muito ao guarda roupa de Audrey Hepburn em Cinderela em Paris (Funny Face) de 1957. Listras, xadrez e cores sóbrias dominam as produções.

O cabelo e a maquiagem chegam para arrematar a caracterização, um deleite para qualquer apaixonado pela estética dos anos 1950.

Leia o post anterior:
Netflix: Lista de filmes para os apaixonados por moda

Uma das maiores fontes de referências para os criadores é o cinema. A sétima arte é uma ótima maneira de aprender...

Fechar