Alexandre Herchcovitch – Do Underground para Paris

Alexandre Herchcovitch é um dos maiores nomes da moda brasileira atual e é reconhecido mundialmente. Começou no meio underground e alcançou o topo, se tornando o queridinho do SPFW e levando suas coleções para Paris, Londres e Nova Iorque.

Alexandre cresceu vendo a mãe trabalhar em sua confecção de lingerie, foi daí que surgiu o interesse pela moda. Regina, mãe de Herchcovitch, foi quem deu suas primeiras lições de corte e costura e foi para ela que Herchcovitch fez aos 16 anos, um vestido de organza.

O garoto cresceu e começou a cursar artes plásticas, mas acabou desistindo e se entregando ao universo da moda, cursando moda na Santa Marcelina, faculdade católica de São Paulo.

Alexandre ajustando a peça em Márcia Pantera em seu desfile de 1994 e ao lado, foto do desfile de inverno 2016, seu último como diretor criativo de sua marca – Foto: Reprodução

Sua carreira começou, de fato, na década de 90, Alexandre era muito conhecido na cena Underground, criando para dragqueens, travestis e outras personalidades da noite paulista. A estética era completamente diferente do Alexandre Herchcovicth que conhecemos hoje, mas ainda assim era autoral e cheia de atitude.

Em 1994 foi “descoberto” por Paulo Borges, que na época organizava o Phytoervas Fashion (“avô” do SPFW). A partir daí Alexandre passou a desfilar nos eventos mais importantes de moda da década, levando anos depois, suas coleções para Londres, Paris e Nova Iorque.

Foto: Bob Wolfenson
Foto: Bob Wolfenson

A caveira, que foi criada para uma estampa de camiseta, se tornou símbolo da moda de Herchcovitch e Herchcovitch se tornou símbolo de moda autoral no Brasil. Já com seu nome no topo, o estilista assinou coleções para marcas como Melissa, Zelo, Tok&Stok, Chilli Beans e desenhou uniformes para o gigante do fast-food McDonalds.

Em fevereiro desse ano, Alexandre Herchcovitch divulgou o desligamento de sua marca Herchcovitch;Alexandre, depois de 23 anos na direção criativa. A moda brasileira recebeu essa notícia como um choque e um sinal de que estamos enfrentando uma grande reviravolta em nosso sistema de moda. O estilista ainda não comunicou o que vem em seguida, mas seus admiradores aguardam ansiosamente para que ele continue fazendo o que faz de melhor, criar.

Leia o post anterior:
Bate Papo sobre moda e Movimento De Stijl no CCBB

A moda sempre se apropriou da arte e do design, com o movimento De Stijl (1917 a 1928) não seria...

Fechar